Make your own free website on Tripod.com
Meu currículo
PETAR Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira

Criado em 1958 o parque se localiza no Vale do Ribeira extremo sul do estado de São Paulo entre os municípios de Iporanga e Apiaí onde se encontra a maior faixa continua de Mata Atlântica do Brasil e conta com 4 núcleos (Santana, Caboclos, Ouro Grosso e Casa de Pedra). A Região é conhecida como a maior concentração de Cavernas do Brasil.

Petar

As cavernas são cavidades naturais formadas pela ação das águas, terremotos e desabamentos e se classificam em Grutas-Cavernas que são horizontais e Abismos verticais.

A cobertura vegetal é de domínio da Mata Atlântica, predominantemente floresta densa, mas com presença, nas áreas acima de 800 m, de floresta de planalto e floresta mista de pinhais.
A Mata Atlântica é o conjunto de ecossistemas de maior índice de biodiversidade conhecido, considerado Patrimônio da Humanidade através da nomeação de Reserva da Biosfera pela UNESCO, em 1992. O PETAR é área-piloto desta Reserva.
A diversidade da flora é acrescida localmente pela presença geológica das lentes calcárias, que propiciam o desenvolvimento de matas com composição florística diferenciada daquelas sobre o solo dominante.
O ecossistema da mata pluvial tropical são comunidades vegetais em diversos estágios de desenvolvimento, com inúmeras espécies florísticas (orquídeas e bromélias, por exemplo) e uma diversificada fauna.
A fauna é beneficiada por esta diversidade de ambientes, tendo um levantamento prévio apontando cerca de 30 espécies da lista de ameaçados de extinção, entre elas: monocarvoeiro, onça-pintada, onça-parda, lontra, irara, harpia, gavião-pomba-grande, jacutinga e cágado-medusa. O parque abriga também uma importante parcela da fauna espeleológica nacional.
Geologicamente, devido à presença das rochas calcárias, o PETAR está inserido numa das maiores províncias espeleológicas do país, abrigando mais de 280 cavernas cadastradas, representando um importante sítio de preservação do patrimônio espeleológico nacional, tanto do ponto de vista geológico (espeleotemas), como biológico (bioespeleologia).

Cachoeira Petar.jpg

Os solos do PETAR são característicos de Mata Atlântica, ou seja, solos ácidos e de baixa fertilidade, agravados pela alta declividade, gerando solos de pouca profundidade, destinados à conservação e preservação da fauna e flora silvestres. Esta situação é amenizada pela presença natural do calcário, representando algumas manchas pontuais de maior fertilidade em áreas mais planas.
O PETAR abriga também vários sítios arqueológicos datados entre 3.000-10.000 anos atrás, que apresentam vestígios de ancestrais de tradição caçadora e coletora.
A área compreendida pelo parque tem relevo altamente acidentado, com diferença em altitude de mais de 1.000 m, possibilitando a presença de várias cachoeiras. Esse número só não é maior em virtude da alta infiltração de água para o subsolo, conseqüência da enorme presença de cavernas ou grutas. Esse fato se dá pela presença de lentes calcárias originadas há milhões de anos atrás no fundo dos oceanos, pela lenta deposição de esqueletos e carapaças de organismos vivos, e levadas à superfície pelo soerguimento da serra do Mar

Dicas:

Utilize calçados leves, com solado macio e antiderrapante e principalmente confortáveis

Utilize roupas fechadas, como agasalhos de preferência as que secam rápido

Leve sempre pilhas e lanternas extras para caverna, se possível fósforos e velas para uma emergência.

Alimente-se bem antes do passeio ou leve alimentos reforçados para a caminhada, pois dentro de uma caverna perdemos a noção do tempo e o passeio pode demorar mais que o previsto

Leve sempre sacolas plásticas para trazer seu lixo de volta

Nunca entre sozinho em uma caverna, sempre acompanhado de preferência a guias ou pessoas que já estiveram no local.

Nunca fume dentro da caverna, isso prejudica o ecossistema delicado da caverna

Nunca pise ou quebre espeleotemas eles demoram milhares de anos para se formar

Uma porta; Tamanho real=180 pixels de largura

Lema internacional da espeleologia

"DE UMA CAVERNA NADA SE TIRA A NÃO SER FOTOGRAFIAS, NADA SE MATA A NÃO SER O TEMPO, NADA SE DEIXA A NÃO SER PEGADAS NOS LUGARES CERTOS".

Como Participar dessa viagem